quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Entendimento

Acontece assim, rápido, rasteiro, me consumindo, me possuindo e me matando um pouquinho e me fazendo querer viver e viver tudo o que eu já vivi e que não me recordo mais. Memória lenta, memória fraca, memória-lampejo. E um homem vira e me diz de maneira rígida que eu não passo tormento. É porque ele não sabe das marcas no meu corpo, não atentou para as cicatrizes dos amores findados, das pessoas tão vivas em mim, mortas, daquelas outras tantas que me esqueceram. Sim, meu senhor, o que você tá vendo é gente que escorre, que clama sangue. Mas você não vai entender.

4 comentários:

Fernando Bassat disse...

Lindo Mara, muito lindo.

Mila disse...

Não somente lindo, como acima de tudo visceral. Igual você, Mara.

E este é um dos motivos pelo qual a gente te ama tanto.

Beijos, menina de SP.

nina.harvey disse...

as duas coisas que me chamaram atenção em você primeiramente foi a sensibilidade e a inteligência, nesse texto você me faz relembrar essa primeira vez que te vi! linda. beijos inteiríssimos.

valentina_costa disse...

Não é para se apaixonar por você, mesmo? Tem certeza?