quinta-feira, 26 de junho de 2008

Fim dos tempos

Ao assistir "Fim dos Tempos" do diretor M. Night Shyamalan, há a impressão de já tê-lo assistido antes. Mais um filme que divaga sobre catástrofes mundiais e pelo jeito não vai ser o único da temporada, na sala de cinema os trailers já anunciavam mais dois.
Qual o fascínio pelas catástrofes, sejam elas naturais ou produzidas pelo homem?
Acredito sempre no mote religioso por trás dessa questão: se a ciência e a tecnologia que supostamente deveriam intervir, pré-anunciar, evitar não o fazem é porque há o mesmo descrédito em relação a essas mesmas ciência e tecnologia: "Se Deus quiser, não há quem o impeça". E como argumentar com os religiosos de plantão sobre isso? Não há como argumentar tautologismos.
Outra questão é a falta de imaginação ou a solução fácil e rápida dada por esses filmes. A catástrofe acontece e na maioria das vezes não há explicação lógica ou razoável, passando longe do método filosófico e científico: conduzir por ordem os pensamentos, começando pelos mais simples e fáceis de conhecer, para subir, pouco a pouco, como por degraus".
Em "O Fim dos Tempos" por exemplo há uma boa introdução para seduzir quem assiste, anuncia-se o tema, mas não há exposição de idéias, a introdução acaba como uma promessa não cumprida do diretor em desenvolver o tema.
Como conversar, discutir sobre algo que não é desenvolvido e nem pode? Só religião e metafísica. E é exatamente isso o latente desse tipo de filme, colocam-se situações hipotéticas que jamais serão corroboradas ou refutadas, para lembrar, mesmo que inconscientemente, que existe algo maior que nós e contra isso ninguém pode, pena que não podemos reclamar o dinheiro da entrada do cinema também.

5 comentários:

nina.harvey disse...

você vai gastar sua grana também nos outros dois filmes de catástrofes do trailer? beijos inteiríssimos, com saudade e quase aí perto de você.

Fernando Bassat disse...

Achei o filme sem pé nem cabeça.

Dani Baroni disse...

Mara,
fazendo pesquisas no Google, descobri seu blog e fiquei encantada. O primeiro texto que li foi sobre "O livro negro da psicanálise". Não sou psicanalista, mas me encantei pela sua crítica construtiva e seu ponto de vista inteligente. Li outros textos, vocês escreve muito bem. A partir de hoje, acompanharei seu blog. Tb tenho um blog e vou fazer a indicação do seu aos meus leitores. Se puder, me visite por lá (http://lithastar.blogspot.com)
. Parabéns!
Daniela

valentina_costa disse...

Você sabe que eu gosto muito do M. Night Shyamalan mas esse é difícil gostar!

Gean disse...

Gosto muito do M. Night Shyamalan. Nunca vi nada dele que fosse completamente ruim. Se rendeu este texto grande deve valer a pena! rs

Beijo Ma.