domingo, 1 de fevereiro de 2009

Literatura e música


Lendo ao som de "Tu me acostumbraste", na voz de Caetano Veloso em Araçá Azul.

"Medo de nada compreender, medo de tudo compreender. Medo de amar e de não mais amar. Medo de tudo esquecer e medo de nada esquecer...medo de passar fome, medo de não ter mais sede de nada. Medo de morrer e de viver. Medo de ter medo. Medo de estar sozinho quando ninguém mais está ali. Medo de estar sozinho quando o ser amado está ali.
Há um medo que não é a morte, ainda, mas que não é mais a vida". Élie Wiesel


"Tu me acostumbraste, a todas esas cosas
Y tu me enseñaste, que son maravillosas".

3 comentários:

rodriguez_lara1 disse...

Vi esse livro esse final de semana, dei uma folheada na livraria mas acabei não levando.
Pelo jeito v gostou.
(Ao som de Caetano Veloso tudo fica ainda mais deslumbrante)
Beijos.

Fernando Bassat disse...

Eu sou meio ignorante diva então não entendi a ligação da música com o trecho do livro. Burro, eu? kk
Beijo.

Gean disse...

O medo, o receio... são nossos companheiros de viagem!aff