terça-feira, 9 de junho de 2009

Dia dos Namorados

Muita gente fala mal dos dias comemorativos: dia dos namorados, das mães, pais, natal e etc. O melhor argumento é que tais datas são apenas para o comércio elevar seus lucros. Argumento irrefutável, claro.

Mas eu penso de uma outra maneira; acredito que esses dias nos ajudam a relembrar (e demonstrar) os sentimentos em relação aos próximos que amamos. Não é necessário correr para as lojas e gastar o dinheiro que a maioria não têm. Não é necessário grandes atos demonstrativos. Não é necessário muita coisa.

Um cartão, um "eu te amo", um almoço, um jantar, um filminho juntos, uma conversa mais prolongada, um toque.

Corremos tanto nos dias atuais e ficamos tão cansados com essa vida que nos desgasta que apenas eventualmente somos fiéis ao que sentimos. Só passei um dia dos pais sem o meu e tentei me lembrar dos anteriores, e vejo que fui fiel ao meu amor, mas fiquei ainda mais feliz quando percebi que a minha demonstração era diária, a minha atenção era todos os dias, o meu afeto era real e concreto, e no fundo, queria passar ainda muitos dias dos pais com um pai do meu lado para continuar, continuar...

Se você que me lê tem um namorado/a, marido/mulher e esse relacionamento faz bem, te traz paz, comemore, abra uma garrafa de champagne (brindar com água também serve), deixe as chatices do cotidiano de lado e diga e faça com que o outro saiba e sinta o amor. Mas tente fazer isso todos os dias, renovar os votos de parceria nos outros 364 dias do ano.

Porque amar não é caretice e não está fora de moda. Já disse um poeta: amar é chique.

4 comentários:

Karina disse...

Desejo brindar com você os 365 dias de muitos anos.Pois a cada manhã me enamoro por você mais e mais.Beijo.

Anônimo disse...

Tem gente que tem sorte

Lara Rodriguez disse...

Que possamos todos encontrar alguém em quem confiar e compartilhar nossos mundos particulares. Beijo Marinha. Amo v.

Mila disse...

Que assim seja sempre, Lara.