sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Caso Uniban

Há uma contradição sobre um assunto em mim neste momento, se por um lado eu não aguento mais que a mídia fale da estudante que, ora foi expulsa, ora foi readmitida na Uniban, por outro, acredito ser justa a polêmica.
Não vou divagar sobre o assunto, apenas deixar algumas observações que para mim são óbvias.

Reelembro um cenário, e esse cenário foi filmado em 1989. O filme chama-se "Acusados", o primeiro filme de destaque da estupenda atriz, Jodie Foster. Eis o cenário: Uma moça vai desacompanhada à um bar, começa a beber, começa a dançar, sua vestimenta é constituída por um vestido curto, e ela provoca alguns rapazes do bar, dança com eles, bebe com eles, conversa com eles, se insinua pra eles. Eles por sua vez, a estupram.
Está instaurado o direito Constitucional de ir e vir, e de liberdade de expressão e ação, mas durante o filme, a garota passa de vítima à algoz, os advogados dos rapazes que a estupraram defendem que, pela maneira de se comportar, ela "pediu" o estupro.

Parece brincadeira, mas como as coisas caminham, não é.
As mulheres lutaram tanto para assumir o controle de suas vidas, antes mesmo do movimento feminista, e alcançaram muitas conquistas, mas o homem ainda continua enxergando as mulheres como símbolos sexuais, corpos a serem descobertos, ou mulheres, que desesperadamente procuram por um homem para se sentirem completas.

Será que ir à um bar sozinha e se insinuar para alguns homens com um vestido curto, ou, frequentar uma faculdade, se insinuando para alguns estudantes com um vestido curto, dá ao homem o direito de ser a vítima e a mulher a algoz?
Ouvi alguns representantes da Universidade dizendo que a vestimenta da estudante era inapropriada para um meio acadêmico. Qual seria, fico me perguntando, a roupa apropriada.

E em todas as colocações, em todas as suposições e versões sobre o acontecimento, só há uma resposta: Ninguém em lugar nenhum tem o direito de acuar, humilhar, desrespeitar, estuprar outro ser humano. E nada do que me digam ao contrário pode ou fará com que eu mude de idéia.

11 comentários:

G disse...

Realmente é espantoso um linchamento moral, por conta de uma vestimento em um meio academico(se é que se pode chamar estas unisso, uniaquilo de meio academico)e mais espantoso foi a atitude dos responsaveis por esta Uni de fancaria...Vergonhoso!

G disse...

Ah, olha o cordel...


Literatura de Cordel...
UMA BURCA PARA GEISE

Miguezim de Princesa


Quando Geise apareceu
Balançando o mucumbu
Na Faculdade Uniban,
Foi o maior sururu:
Teve reza e ladainha;
Não sabia que uma calcinha
Causava tanto rebu.

Trajava um mini-vestido,
Arrochado e cor de rosa;
Perfumada de extrato,
Toda ancha e toda prosa,
Pensou que estava abafando
E ia ter rapaz gritando:
"Arrocha a tampa, gostosa!"

Mas Geise se enganou,
O paulista é acanhado:
Quando vê lance de perna,
Fica logo indignado.
Os motivos eu não sei,
Mas pra passeata gay
Vai todo mundo animado!

Ainda na escadaria,
Só se ouvia a estudantada
Dando urros, dando gritos,
Colérica e indignada
Como quem vai para a luta,
Chamando-a de prostituta
E de mulherzinha safada.

Geise ficou acuada,
Num canto, triste a chorar,
Procurou um agasalho
Para cobrir o lugar,
Quando um rapaz inocente
Disse: "oh troço mais indecente,
Acho que vou desmaiar!"

A Faculdade Uniban,
Que está em último lugar
Nas provas que o MEC faz,
Quis logo se destacar:
Decidiu no mesmo instante
Expulsar a estudante
Do seu quadro regular.

G disse...

Totalmente escorraçada,
Sem ter mais onde estudar,
Geise precisa de ajuda
Para a vida retomar,
Mas na novela das oito
É um tal de molhar biscoito
E ninguém pra reclamar.

O fato repercutiu
De Paris até Omã.
Soube que Ahmadinejad
Festejou lá no Irã,
Foi uma festa de arromba
Com direito a carro-bomba
Da milícia Talibã.

E o rico Osama Bin Laden,
Agradecendo a Alá,
Nas montanhas cazaquistãs
Onde foi se homiziar
Com uma cigana turca,
Mandou fazer uma burca
Para a brasileira usar.

Fica pra Geise a lição
Desse poeta matuto:
Proteja seu bom guardado
Da cólera dos impolutos,
Guarde bem o tacacá
E só resolva mostrar
A quem gosta do produto.

G disse...

Essa "Da cólera dos impolutos" foi bom D+!

Roberto Lázaro disse...

Fantástico o cordel G!!!! KKKK

Fernando Bassat disse...

Nenhuma justificativa da universidade explica a barbárie daquelas 700 pessoas, ou diria animais?
Beijo diva.

Gean disse...

E o caso rende..cá estou de novo! rs

Penso que não podemos afirmar que houve premeditação da parte dela,pois não temos está informação, o que temos é o que apareceu, o que transbordou...que foi a tentativa até de linchamento físico , feita por uma turma de academicos!

Temos razão em salientar nosso desconforto pela opinião dos considerados bem pensantes(teoricamente as pessoas da uniban são ), pois é extamente disso que se trata neste caso, de bem pensantes que agem como se fossem 'cabaços' na arte do pensamento!

A Alemanha de Hitler era a sociedade humana mais evoluida do seu tempo, ganhadora da maioria dos prémios nobéis daquele tempo! Terra dos grandes (senão dos maiores)pensadores da raça humana, que se dá ao atrevimento de construir um sistema. métodico, formal para eliminar fisicamente minorias indesejadas(uma minoria que acaba se tornando 6 milhões) . ou seja, a Alemanha criou o 'casamento' da alta cultura com o extermínio de concidadões(e gente indesejada dos paises invadidos) indesejados!

É este elo que existe entre o caso da uniban e a Alemanha de Hitler que nos deixa chocados...

Mara Toledo disse...

São os bem pensantes que ateam fogo em índio, que metralham pessoas em cinemas, que matam pais, exatamente por pensar que podem, devem e são superiores.
Gean, adorei o cordel e os seus comentários e beijos para Roberto e Fernando.

Daniel Saes disse...

Gean, não existe "mais evoluído" ou "menos evoluído", e sim uma adaptação mais apropriada a um meio específico, o "darwnismo" não se aplica as relações humanas em uma dinâmica antropológica, tanto que a história nos mostrou que a alemanha nazista não era o ápice de nada (naquele momento).
Outra falácia é fazer analises segundo um corporativismo de gêneros, não é a mulher que se emancipa, ou o homem que fica mais permissivo e sim a sociedade como um todo, pois machismo é uma cultura reproduzida por homens e mulheres nos mais variados contextos. Lamentavelmente os universitários da Uniban deram a atenção que a tal garota estava querendo, a mídia dimensificou o fato a ponto que estamos aqui analizando o lamentavel da estupidez humana.

G disse...

Daniel, vc tem razão! No texto que escrevi acima,escrevi que :a Alemanha de Hitler era a sociedade humana mais evoluida do seu tempo"

Na verdade quis dizer que a Alemanha PRÈ-HITLER era a sociedade humana que mais se destacava culturalmente e ganava preimios nóbeis em variadas áreas do conhecimento!!

Olha, obrigada por ter lido com atenção e comentado!

Um beijo agradecido.

G disse...

Daniel, tens razão! No texto que escrevi acima,escrevi que :"A Alemanha de Hitler era a sociedade humana mais evoluída do seu tempo"

Na verdade quis dizer que a Alemanha PRÈ-HITLER era a sociedade humana que mais se destacava culturalmente e ganhava premios nóbeis em variadas áreas do conhecimento!!

Olha, obrigada por ter lido com atenção e comentado!

Um beijo agradecido