domingo, 4 de maio de 2008

Fim da Brincadeira

"Quem me compra um jardim com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?
Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entro o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?
Quem me compra esse formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?
(Este é o meu leilão!)"
Cecília Meireles escreveu esse poema infantil em 1964.
Em 2008, as crianças não brincam em jardins, as flores de casa são de plástico, as borboletas são animais indesejáveis, lagarto é animal de zoológico, primavera e verão são a mesma coisa, não conhecem canções, não brincam com sapo, cigarra ou grilo e são todos tão tristes.

4 comentários:

nina.harvey disse...

eu compro pra você, quer? (rs)

valentina_costa disse...

Somos nostálgicos porque os tempos passados eram melhores ou por que é da nossa natureza?

rodriguez_lara1 disse...

Bonito o poema.
Triste a realidade.

Gean disse...

Brincar para a criança é muito importante, tão necessário quanto a comida e o afeto.As crianças dos centros urbanos já nascem quase adultas(com agenda e tudo)e passam o tempo todo limpinhas de dá pena!
Aínda bem que fui uma criança rueira e sujinha; a junção destas duas condições me transformou neste ser maravilhoso!!! rsrs