quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Para K.

“Sou cheia de manias. Tenho carências insolúveis. Sou teimosa. Raivosa, quando sinto-me atacada. Não como cebola. Não imponho a minha pessoa a ninguém. Não imploro afeto. Não sou indiscreta nas minhas relações. Tenho poucos amigos, porque acho mais inteligente ser seletivo a respeito daqueles que você escolhe para contar os seus segredos. Então, se sou chata, não incomodo ninguém que não queira ser incomodado. Chateio só aqueles que não me acham uma chata, por isso me querem ao seu lado. Acho sim, que, às vezes, dou trabalho. Mas, é como ter um Rolls Royce: se você não quiser ter que pagar o preço da manutenção, mude para um Passat.” Fernanda Young.
E eu escolho ser sua amiga, porque somos duas chatas que não imploram afeto. E eu sempre gostei de manutenção.
Beijo, querida minha.

4 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
karina disse...

Adorei ! É um prazer te-la em qualquer situação.Bjo

Gean disse...

Achei esta descrição muito boa. Como é bompoder ter uma amiga tão zen assim!
Achei sua cara esta descrição Ma!

Helena disse...

É uma honra ter uma amiga assim Gean. Também acho.
Gosto muito deste texto da Young.
Beijos.