segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Back to Amy


O post abaixo é menos informativo e mais coerente com o post anterior quando escrevi sobre Cazuza e outras personalidades "errantes".

O jornal britânico "The Telegraph" elegeu "Rehab", música do disco Back to Black, de 2006, da "marginal" Amy Winehouse como a música mais influente da década, em uma escolha de 100 canções.
Segundo o jornal britânico, a música de Amy é a que melhor define a cultura músical dos anos 2000.
Segundo a publicação, são "as músicas universais que entraram para a cultura popular e viraram trilha sonora em nossas vidas".
Então, parece que os Jonas Brothers e todos os bons moços discípulos dos New Kids on The Block ficaram de fora...
O que seria da nossa vida cultural sem os marginais?
Fora isso, salve, salve Amy!

5 comentários:

Fernando Bassat disse...

Acho que talvez possa ter sido o HIT do ano, mas não a mais bonita ou incrível dela. Back to Black, Valerie, Love is a losing game, wake up alone, just friends. Todas essas são mais bonitas!
Beijo diva.

Leandro Negreiros disse...

Nunca entendo muito bem essas eleições. Uma coisa é "definir a cultura musical dos anos 2000", o que implica em ditar ritmo, letra, estilo... E outra coisa é virar "trilha sonora em nossas vidas", algo bem mais subjetivo. São duas coisas bem diferentes, a meu ver. Aliás, acho até estranho que "marginais" - como vc mesma disse - sejam tão influentes assim, numa época em que prevalecem os discursos politicamente corretos, como vc observou no post do Dráuzio Varella. De qualquer forma acho que Amy representa bem a geração: diferente, inteligente e ousada. Eu gosto de tudo o que ela faz...

Lisa disse...

Semanas atrás assisti o show da Fernanda Takai aqui em Brasilia e ela pediu para todos beberem uma taça de vinho para Amy viver mais. Pois isso seria uma taça a menos para ela. No mais a Srta Marginal tem uma das vozes mais belas do cenário musical! Salve Amy!

Mara Toledo disse...

Leandro,

Concordo em uma parte com você: A "importância" dessas listas. Na verdade não há muita.
Eu só quis contrapor com o post abaixo.
E complemento o que você disse, o povo elege personagens marginais porque estão cansados do politicamente correto, e mais, estão cansados de tentar ser politicamente corretos. Os marginais expressam uma vontade nossa de quebrar regras, de extrapolar, de ser diferente do que somos, mesmo que seja por um dia.

Lisa, concordo com você, uma das vozes mais belas e mais expressivas e que levaram pessoas mais jovens a descobrir outros tipos de ritmos como blak, soul, que pra eles eram coisas de "velhos"...

Gean, acho que vou adotar a sua dica e vou dar os meus pitacos aqui nos comentários também!

Beijos pra todos.

Gean disse...

Um brinde então ao talento doña Amy Winehouse! (á moda da Fernanda Takai)

Boa medida Mara, esta da maior interação.

Beijos daqui tbm...