segunda-feira, 12 de abril de 2010

O fenômeno dismitificado


Nesse final de semana eu resolvi alugar "Crepúsculo" e "Lua Nova" para tentar entender o porquê de tanto frenesi dos adolescentes em relação, tanto aos filmes quanto dos livros. Acho que entendi um pouco...

Nem de longe, nenhum dos dois filmes me cativou. Achei a história, os atores e até os efeitos especiais, ruins, por isso, ler os livros, está fora de cogitação. Até porque quem tem um pouco mais de idade e já assistiu há muitos filmes e uma porção sobre vampiros e lobisomens, sabe que existem muitos destes filmes que são superiores. O meu preferido continua sendo, "Drácula de Bram Stoker", com o incrível Gary Oldman no papel principal. Mas o interessante é realmente analisar o interesse dos jovens pela saga e o interesse não advém apenas de ser uma história sobre vampiros e lobisomens, aliás, isso é o de menos.

Quem tem adolescentes por perto ou convive com eles diariamente sabe da dificuldade existencial que eles passam. Continuam crianças ou são "quase" adultos? Ao que eles têm direito? Quais são seus deveres?

Os filmes narram principalmente a vida de uma humana e não de um vampiro ou lobisomem, e é nessa humana que muitos adolescentes se espelham. Uma adolescente que tem os mesmos problemas que todos os outros: pais divorciados, problemas de adaptação em casa ou num ambiente escolar, falta de amigos, solidão, falta de confiança nos pais e etc. E Isabela, a protagonista, apesar dos problemas comuns e naturais dessa idade, é destemida, forte, eloquente, inteligente e acima de tudo, sabe o que quer. Ela sabe o que a maioria dos adolescentes de hoje não sabem. Ela sabe o que quer da vida apesar dos medos que decorrem de suas escolhas. Ela é a heroína e a principal personagem, justamente porque escolhe.

Além disso, é curioso constatar que os filmes chegam a ser melosos, de tão românticos. Mas uma vez, não trata-se de um enredo sobre seres espetaculares e heróicos (no sentido sobrenatural), mas dos amores adolescentes. Na vida de uma adolescente de mais ou menos 15 anos, quem é o garoto bonzinho, ou o bad boy atraente? Em qual dos meninos da escola confiar para dar o primeiro beijo? Aqui, enfatizo, beijo, e não sexo, porque o filme é romântico, mas é assexuado.

Engana-se quem pensa que essa garotada desenfreada, em sua maioria são pessoas que querem ser "desviantes", desrespeitosos, mal educados. Eles querem a independência e por isso usam um arsenal de armas para que todos ao seu redor pensem exatamente que eles são difíceis. Mas não são. No fundo, o que eles querem é aquele amor romântico de centenas de anos atrás. Aquele mesmo da Cinderela ou de qualquer conto de fada. Eles querem se apaixonar loucamente e confiar plenamente nesse outro para poderem se entregar "de corpo e alma". E é exatamente isso que eles vêem nos filmes: uma entrega apaixonada de duas pessoas (aqui, pode retirar o fato de um deles ser vampiro), o vampiro é o conto de fada que se transforma no homem (menino, ou garoto) ideal.

"Crepúsculo" e "Lua Nova", enfim, servem para alguma coisa e os pais devem assisti-los para, exatamente, dismitificar seus filhos como seres irrresponsáveis e sem rumo. Eles têm rumo, só não encontraram o rumo a ser escolhido. Esses adolescentes amam e querem ser amados, e por terem dificuldade que isso aconteça (porque são sonhos e não a realidade), é que se portam, muitas vezes, de maneira irada e irresponsável. Querem ser notados.

Fora isso, a saga Crepúsculo não oferece mais nada. Mas não é pouco, diga-se de passagem.


5 comentários:

Cp disse...

compreendo porque não gostaste dos filmes, mas os livros são COMPLETAMENTE diferentes, não têm nada a ver. Amei os livros mas desiludi-me muito com os filmes.
Realmente aconselhava-te a leres os livros, lêm-se bem e rapidamente :)

beijinhos

Helena disse...

Você conseguiu assistir os 2 filmes? Uau! (rs)
Mas valeu pela análise psicológica!
Beijo queridona.

Lisa disse...

Eu também assisti por curiosidade e achei uma porcaria o primeiro filme então não assisti o segundo. Achei a análise que você fez bem peculiar e interessante mas continuo achando adolescentes e seus gostos uma chatice só...
Abraço

Nina disse...

concordo com a lisa aí de cima. sei que é uma idade que querem desesperadamente chamar atenção e por isso agem da maneira que agem mas que é infernal é.
e faço a mesma pergunta que a minha querida helena: teve coragem e paciência para assistir os dois? vai assistir o terceiro no cinema?

Bernnie disse...

Adorei. Concordo muito...